Fotodepilação: Como Funciona, Quem Pode Fazer e Preço

Como funciona a fotodepilação

Diferença entre depilação a laser e fotodepilação

A fotodepilação com luz pulsada é uma tecnologia muito semelhante ao laser, no entanto, é mais suave. De uma forma didática, o pelo chega até o início da hipoderme, terceira camada de nossa pele, e a luz pulsada restringe sua ação até essa camada, já o laser tem um alcance mais profundo e uma maior sensibilidade.

De um lado temos o laser, com seu aspecto pontual por meio de uma luz firma e direta, concentrando toda sua energia em um pequeno ponto, que irá atuar em uma determinada área a ser tratada. Do outro lado temos uma tecnologia presente no mercado há mais de uma década, que é a luz pulsada, a ponteira deste equipamento é completamente diferente dos aparelhos de depilação a laser. A luz pulsada tem uma maior eficiência em outras aplicações, como, por exemplo, no tratamento de melanoses, que são pequenas manchas geralmente de coloração marrom escura. A melanose é localizada na parte mais superficial de nossa pele, já as raízes dos pelos se localizam em camadas mais profundas.

Ambas não são completamente definitivas, apesar da depilação a laser ser mais moderna, nela, o pelo é queimado por fora e cai nos dias seguintes ao tratamento. Dentro dos fotodepiladores, existe um filamento de xênon, responsável pela explosão de cores dispersas.

laser-diodo-vs-luz-pulsada

Fotodepilação dói?

Devido ao seu menor alcance, a luz pulsada não gera dores e o paciente apenas sente leve fisgadas.

Quem pode fazer fotodepilação?quem-pode-fazer-fotodepilacao

A fotodepilação, assim como alguns tipos de laser, não pode ser aplicada em peles muito escuras, porém, existem várias tonalidades de pele negra, e a título ilustrativo, podemos citar a atriz Thais Araújo, que tem um tom de pele aceitável para a fotodepilação. Assim, a fotodepilação é contraindicada para pessoas de pele negra com tons mais escuros, grávidas, e pessoas epiléticas, estas últimas podem ter convulsão quando em contato com luzes piscantes.

Fotodepilação: riscos

Quando se toca a pele com a ponteira larga de um fotodepilador, o calor se distribui por toda a superfície, fazendo com que o risco de possíveis queimaduras seja maior, logo, esse aparelho não é ideal para a depilação.

Por essa luz ser divergente, não ocorre uma penetração de forma profunda, e é por isso que ela não é ideal para depilação. Um outro eventual problema da luz pulsada, que vai além da queimadura, é o descolorimento e afinamento de pelos, dificultando ainda mais a posterior aplicação de uma tecnologia a laser para depilação, a qual terá uma melhor resposta para pelos escuros e grossos.

Quando temos um processo que envolve quantias significativas de energia distribuída pela nossa pele, há de se tomar algumas precauções, por isso, para a pele não ser queimada pela luz, ela não deverá estar bronzeada.

A luz pulsada age no pelo por meio da melanina, e devido a termos essa proteína em nossos olhos, pele e pelos, toda a energia deverá ser concentrada nos pelos, prevenindo assim que sejam atingidas a pele e os olhos. Os óculos servem para a proteção ocular do paciente, para que assim sua retina não seja danificada.

O acúmulo de luz não traz prejuízos ao nosso corpo, de forma que podemos realizar no mesmo dia a fotodepilação em várias regiões do corpo. A luz da fotodepilação não é cancerígena, e não pode ser aplicada em regiões mucosas, como a boca, além de áreas muito próximas aos olhos.

Quantas sessões de fotodepilação são necessárias?

Como a fotodepilação é um tratamento progressivo, o indicado é que sejam feitas ao menos 6 sessões. Em média, de 2 a 3 dias após a aplicação da fotodepilação, os pelos se desprendem do corpo. Assim como ocorre com o laser, o pelo é eliminado pelo bulbo, porém, com o passar do tempo, os pelos podem voltar em mais claros e quantidades menores. Dessa forma, mesmo após o fim do tratamento, geralmente são necessárias consultas de manutenção, normalmente realizadas em torno de 1 a 2 vezes ao ano.

Comments are closed